Projectos

DJ Ride
DJ Ride

DJ Ride é muitas coisas. É metade dos Beatbombers com Stereossauro. É campeão do mundo de scratch. É detentor de seis títulos de campeão a nível nacional. É um dos seis finalistas mundiais da competição da Red Bull Thre3Style, no Japão. É um nerd do scratch, um DJ com capacidade para rockar festas sejam elas de que tamanho forem. É sound designer e produtor com vários EP’s e quatro álbuns no currículo, ‘Psychedelic Soundwaves’, ‘Turntable Food’ , ‘Life in Loops’ e ‘From Scratch’.

DJ Ride lançou o disco ‘Remixes & B Sides’ com a revista Blitz de Outubro, onde reúne 17 temas e conta com a participação de Sarah Linhares, The Legendary Tigerman, Capicua, Helena Veludo, HMB, Nery, Pernas de Alicate, Gentleman, Batida, Holly, Susana, Lewis M, Beatbombers, Kika Santos e Micro Audio Waves. Mas Ride é, mesmo, muitas coisas. É um digger dedicado, como muito bem o demonstra o documentário Discos Perdidos. É um pioneiro, facto que pode ser justificado, por exemplo, com o seu espetáculo Pixel Trasher. Mas basta uma frase para o definir da forma mais profunda e mais simples possível: Ride é um apaixonado por música.

Com os skills correntemente ao rubro, fruto de uma incansável vida na estrada que o leva a contabilizar centenas de gigs por ano, em clubes e festivais, de Lisboa a Londres, da Sérvia à Polónia, de Ibiza a França, DJ Ride demonstra igualmente uma enorme generosidade e abertura no que à música diz respeito: dubstep, hip hop, drum n’ bass, eletrónica dos mais diferentes recortes. Nenhum território é deixado inexplorado pela natural curiosidade de DJ Ride. A recompensa tem chegado de muitas formas, com convites para os mais conceituados festivais e clubes e com a partilha de palcos e cartazes com referências como Q-Bert, Gaslamp Killer, Dam-Funk, A-Trak, Flying Lotus, Steve Aoki ou Moderat.

E é com nomes dessa dimensão que Ride está verdadeiramente entre os seus pares. Tudo isto tem valido a Ride um reconhecimento por que qualquer DJ anseia: o de que é igualmente um músico. Convites para tocar com músicos tão distintos como André Fernandes ou Legendary Tigerman; para remisturar bandas como Balla, Micro Audio Waves ou artistas como Kika Santos; a juntar aos recentes discos que produziu para Capicua e Jimmy P são justa conta do alcance da sua visão musical. O nome de Ride já não é, por isso mesmo, estranho na imprensa, na TV, na rádio ou na web.

É uma certeza. Quer estejam instalados num clube, num festival com milhares de pessoas ou a ouvir nos auscultadores, Dj Ride é um must listen.

Fonte: Let’s Get Lost
Foto: Rita Carmo